Saiba como se prevenir contra fraudes bancárias e evitar prejuízos


Nas últimas décadas, o desenvolvimento da informática e da internet, incrementado graças à popularização dos notebooks, tablets e smartphones, permitiu o acesso on-line a contas bancárias (internet banking) e o crescimento explosivo das transações eletrônicas. Nesse cenário, garantir a segurança das informações — seja da pessoa física e/ou da pessoa jurídica — é crucial para que você ou sua empresa não caiam em golpes e fraudes bancárias cada vez mais frequentes e sofisticados que geram prejuízos financeiros e muita preocupação.

Hoje, o perigo maior não está mais no mundo físico (roubo de códigos e senhas de cartão de débito/crédito em locais públicos e golpes em caixas eletrônicos), e sim principalmente no mundo virtual. Por isso, devemos nos prevenir, sobretudo, contra tentativas de fraudes praticadas via telefone, mensagens de SMS, e-mail, aplicativos falsos e sites de vendas.

 De acordo com Adriano Volpini, diretor da Comissão Executiva de Prevenção a Fraudes da Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), a maioria das fraudes atualmente utiliza o que os especialistas chamam de engenharia social, que consiste em esquemas de manipulação psicológica da vítima para que ela forneça informações confidenciais aos fraudadores. “Seja pelo telefone, por e-mail, pelas mídias sociais, SMS, o fraudador solicita dados pessoais do cliente, como números de cartões e senhas, em troca de algo, ou ainda induz o usuário a ter medo de alguma situação”, explica Volpini.

Diante de situações como essas, a recomendação para proteger sua conta bancária, incluindo transações realizadas pelo novo sistema de pagamentos instantâneos (PIX), é seguir algumas regras básicas:

 1) nunca forneça seus dados pessoais, números e senhas de conta bancária ou cartão de crédito a terceiros; 

2) desconfie sempre de cadastros on-line para receber promoções, ofertas e prêmios, entre outros golpes;

 3) lembre-se que bancos e instituições financeiras não solicitam informações do cliente por telefone, e-mail, SMS ou mensagens do WhatsApp (tipo de golpe mais recente), nem enviam motoboys ou agentes diretamente às casas dos clientes para cancelar ou trocar de cartão ou senha, por exemplo.

Além desses cuidados básicos, previna-se contra possíveis fraudes e golpes adotando as seguintes medidas de segurança: a) jamais compartilhe seus dados pessoais e financeiros nas redes sociais; b) reforce a proteção de seus dispositivos eletrônicos com programas antivírus e senhas bem elaboradas e sempre atualizadas; c) não faça transações on-line em redes de Wi-Fi públicas ou suspeitas; d) monitore atentamente as movimentações de suas contas e cartões.

Grupo AllCheck

Consulte as soluções oferecidas pela AllCheck para garantir a integridade, segurança e disponibilidade das informações de seus clientes.

(Edson Luís Rosa)

***


REFERÊNCIAS

 

https://portal.febraban.org.br/noticia/3372/pt-br/

https://andrebona.com.br/fraudes-bancarias-o-que-sao-e-como-se-proteger/

https://www.visa.com.br/sobre-a-visa/noticias-visa/nova-sala-de-imprensa/as-10-fraudes-mais-comuns-na-america-latina.html

http://www.bancariosgo.org.br/noticias/noticias/bancos-alertam-sobre-as-tentativas-de-fraudes-mais-comuns-com-o-pix-e-indicam-como-evita-los/